ANTES DE LER É BOM SABER...

Este blog - criado em 2008 - não é jornalístico, embora contenha alguns conteúdos que navegam levemente nessas águas. Os textos são de autoria de Luís Carlos Freire, o qual descende do mesmo tronco genealógico da escritora Nísia Floresta. Esse parentesco ocorre pela parte das raízes da mãe do autor deste blog, Maria José Gomes Peixoto Freire, neta de Maria Clara de Magalhães Fontoura, trineta de Maria Jucunda de Magalhães Fontoura, descendente do Capitão-Mor Bento Freire do Revoredo e Mônica da Rocha Bezerra, dos quais descende a mãe de Nísia Floresta, Antonia Clara Freire. Essas informações são encontradas no livro "Os Troncos de Goianinha", de autoria de Ormuz Barbalho Simonetti, um dos maiores genealogistas brasileiros. O referido livro pode ser pesquisado no Museu Nísia Floresta, no centro da cidade. Luís Carlos Freire é especialista na obra de Nísia Floresta, membro da Comissão Norte-Riograndense de Folclore, sócio da Sociedade Científica de Estudos da Arte e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Possui trabalhos científicos sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, publicados nos anais da SBPC, Semana de Humanidade, Congressos etc. É autor de 'História do Município de Nísia Floresta', 'Cultura Popular em Nísia Floresta', 'A linguagem Popular em Nísia Floresta', dentre inúmeros trabalhos na área de história, lendas, costumes, tradições etc. Uma pequena parte das referidas obras ainda não estão concluídas, mas o autor entendeu ser útil disponibilizá-la neste blog, enquanto as conclui. Algumas são inéditas. O acesso permite aos interessados terem ao menos uma boa noção daquilo que buscam, até porque existem situações em que certos assuntos não são encontrados nem na internet nem em outro lugar. Algumas pesquisas são fruto de longos estudos, alguns até extensos e aprofundados, pesquisados em arquivos de Natal, Recife, Salvador e na Biblioteca Nacional no RJ. O autor estuda a história e a cultura popular da Região Metropolitana do Natal. Esse detalhe permitirá ao leitor encontrar informações históricas sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, sobre o município homônimo, situado na Região Metropolitana de Natal/RN, além de crônicas, artigos, fotos poemas, etc. É PERMITIDO COPIAR TEXTOS DESTE BLOG, DESDE QUE A AUTORIA SEJA MENCIONADA. OBS. Só publico comentários que contenham nome completo, e-mail e telefone, pois repudio anonimato.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

NÍSIA FLORESTA: A TERRA DO TURISMO IGNORADO!

Dia desses, brincando, eu conversava com uma criança nisiaflorestense, e disse: "Eu sei onde existe um POTE DE OURO enterrado aqui em Nísia Floresta".
O menino – de uns 9/10 anos, ficou impressionado e pediu que eu dissesse onde era. Queria ir lá para desenterrá-lo com o pai. Daí eu expliquei-lhe que o pote de ouro estava em muitos lugares, e não era possível desenterrá-lo. A criança insistiu, e tive que explicar que me referia ao POTENCIAL TURÍSTICO de Nísia Floresta. 
E fui dar-lhe uma aula. O menino ficou impressionado. Lembro-me que ele disse: "Pôxa vida, como eu queria ter uma vida melhor. Se o meu pai fosse um guia de turismo, tivesse um buggy, eu até poderia ter um computador. Minha mãe poderia até trabalhar em alguma coisa dessa que o senhor falou!"
É simplesmente inacreditável – e intolerável – sermos o município com o potencial turístico mais rico do Rio Grande do Norte – VERDADEIRA INDÚSTRIA SEM CHAMINÉ e, no entanto – vê-lo ignorado por sucessivas gestões públicas, inclusive a atual, que foi indicada pelo ex-prefeito, que, como se não bastasse, hoje lança uma candidata ao cargo de gestora, a qual dará continuidade ao legado de desprezo ao turismo.
Pegue o mapa do Rio Grande do Norte e compare o tamanho do município de Nísia Floresta com os que fazem divisa com ele e mesmo os que são próximos.
Nísia Floresta é maior que a maioria, inclusive Natal.
Faça uma varredura nesses municípios e me responda qual deles é dono de um patrimônio material/imaterial que possua:
1) uma figura histórica do nível de Nísia Floresta, cujo legado projeta o município para todos os países do mundo? (somando a isso o seu túmulo, um monumento e a escultura feita por seu pai, existente na sacristia);
2) 26 lagoas com cenários cinematográficos;
3) 3 baobás, inlclusive um deles, projeta o município para os sete cantos do Brasil por sua história;
4) trechos intocáveis de Mata Atlântica;
5) uma igreja do século XVIII, iniciada a sua construção em 1735;
6) um frontão de cemitério dos mais belos do Brasil, datado de 1798;
7) uma casa-grande em perfeito estado de conservação, do início do século XIX (Engenho São Roque), com resquícios dos equipamentos do antigo engenho;
8) uma estação ferroviária datada de 1881, feita tal qual os primeiros modelos originais, ingleses do mundo;
8) 5 belas praias;
9) um contexto de imigração japonesa iniciado no final de 1930, consistindo no primeiro município brasileiro a contar com colônia nipônica fora do estado de São Paulo, que para cá veio trabalhar com agricultura e hortifrutigranjeiros;
10) a primeira casa em alvenaria do Brasil, datada de 1575, situada no distrito do Pium;
11) tenha o Registro de Nascimento da Campanha da Fraternidade no Brasil;
12) tenha recebido um padre da Bélgica que deu origem a um tipo de artesanato praticado até hoje, consistindo no único "meio de vida" de muitos nativos;
13) um contexto de lendas e histórias maravilhosas, inspiradoras e geradoras dos mais belos trabalhos acadêmicos;
14) significativas manifestações folclóricas no campo da dança, do drama e outras vertentes de cultura popular;
Nísia Floresta, simplesmente é diferente de tudo o que se vê por aí. Se eu for destrinçar aqui o potencial turístico de Nísia Floresta, não pararei mais, pois é de uma enormidade tão impactante que, quem não mé de Nísia Floresta, dirá que estou mentindo. É simplesmente um fenômeno.
NÍSIA FLORESTA: A TERRA DOS ENGENHOS DE AÇÚCAR, HOJE É UM ENGENHO DE TURISMO DA MAIS ALTA QUALIDADE – MAS - INFELIZMENTE – IGNORADO! PASMEM!
Não sou da área do Turismo, mas até uma pessoa semi-alfabetizada sabe até mais que eu sobre o que destrinço aqui. Não é novidade. A única novidade é aparecer alguém que reconheça isso, se aproprie desse contexto e o transforme numa fábrica de dinheiro, gerando emprego, projetando o município e ampliando cada vez mais a sua economia.
Confesso que eu sinto revolta ao ver uma cidade de miseráveis sobre uma das terras mais férteis e cheias de água da região, onde todos poderiam ser ricos. Há uma coisa tão simples, chamada GUIA TURÍSTICO. Mas qual deles traz essas informações acima? Onde estão os guias turísticos? E os GUIAS DE TURISMO? Onde estão?
O TURISMO EM NÍSIA FLORESTA É UMA CASA DA MOEDA IGNORADA. A partir do momento que um gestor realmente visionário, construir com o seu povo uma Política de Turismo nesses moldes – ou seja – abrindo as portas dessa CASA DA MOEDA – fazendo-a funcionar, a sua economia dará um salto, melhorando a vida de muitos trabalhadores.
A impressão que tenho é que sucessivos prefeitos preferem esconder tudo isso, pois sabem que esse potencial significará a independência de Nísia Floresta.
São tantas possibilidades de geração de emprego através do TURISMO, que a população terá condição de dar dignidade às suas famílias, sem precisar viver pedindo esmolas aos vereadores ou às portas da Prefeitura. É POR ISSO QUE TAIS PREFEITOS E VEREADORES NÃO QUEREM EXPLORAR A FAMOSA FÁBRICA SEM CHAMINÉ, POIS GERA RIQUEZA E INDEPENDÊCIA.
É tudo o que falta. É tudo o que eles não querem!
E quando eu vejo tais políticos – que não são nada políticos – e, sim, POLITIQUEIROS, servindo-se de seus mandatos por vaidade, SEM APRESENTAR NADA RELEVANTE DIANTE DE TANTA COISA INSPIRADORA, EM TERMOS DO SEU TURISMO, potencializa em mim a certeza de jamais reelegê-los, e tampouco pedir votos para quem eles indicam. Pois eles indicam a continuidade do marasmo, do ostracismo, do abandono. É muito claro tudo isso. Só engana-se quem quer.
Dia desses uma jovem da Rússia entrou em contato comigo, encantada sobre a História da intelectual Nísia Floresta, lida neste blog. Ela nos visitará em janeiro. Outro dia uma professora de Santa Catarina fez contato para discutir sobre umas lendas que publiquei. EU SÓ NÃO ENTENDO COMO OS GESTORES E VEREADORES QUE ESTÃO NO PODER IGNORAM TUDO ISSO.
Neste texto eu abordei apenas um ponto capaz de alavancar a economia nisiaflorestense. E quando você olha e vê que são muitas, muitas, muitas outras formas diferentes do aspecto do TURISMO - capazes de gerar riqueza - dá pena tanto desprezo. Com toda sinceridade, jamais eu teria a coragem de sujar o meu nome, passando por uma administração, deixando uma história tão igual aos antigos intendentes municipais. Jamais!
Como eu queria que um gestor ficasse tão impressionado como o garotinho que eu contei a história do início desse texto...



Nenhum comentário:

Postar um comentário