ANTES DE LER É BOM SABER...

Este blog - criado em 2008 - não é jornalístico, embora contenha alguns conteúdos que navegam nessas águas. Os textos são de autoria de Luís Carlos Freire, o qual descende do mesmo tronco genealógico da escritora Nísia Floresta. O parentesco ocorre pela parte das raízes da mãe do autor deste blog, Maria José Gomes Peixoto Freire, neta de Maria Clara de Magalhães Fontoura, trineta de Maria Jucunda de Magalhães Fontoura, descendente do Capitão-Mor Bento Freire do Revoredo e Mônica da Rocha Bezerra, dos quais descende a mãe de Nísia Floresta, Antonia Clara Freire. Essas informações podem ser encontradas no livro "Os Troncos de Goianinha", de autoria de Ormuz Barbalho Simonetti, um dos maiores genealogistas brasileiros. O referido livro pode ser pesquisado no Museu Nísia Floresta, no centro da cidade de nome homônimo. Luís Carlos Freire é especialista na obra de Nísia Floresta, membro da Comissão Norte-Riograndense de Folclore, sócio da Sociedade Científica de Estudos da Arte e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Possui trabalhos científicos sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, publicados nos anais da SBPC, Semana de Humanidade, Congressos etc. É autor de 'História do Município de Nísia Floresta', 'Cultura Popular em Nísia Floresta', 'A linguagem Popular em Nísia Floresta', dentre inúmeros trabalhos na área de história, lendas, costumes, tradições etc. Uma pequena parte das referidas obras ainda não estão concluídas, mas o autor entendeu ser útil disponibilizá-la neste blog, enquanto as conclui. Algumas são inéditas. O acesso permite aos interessados terem ao menos uma boa noção daquilo que buscam, até porque existem situações em que certos assuntos não são encontrados nem na internet nem em outro lugar. Algumas pesquisas são fruto de longos estudos, alguns até extensos e aprofundados, pesquisados em arquivos de Natal, Recife, Salvador e na Biblioteca Nacional no RJ. O autor estuda a história e a cultura popular da Região Metropolitana do Natal. Esse detalhe permitirá ao leitor encontrar informações históricas sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, sobre o município homônimo, situado na Região Metropolitana de Natal/RN, além de lendas, crônicas, artigos, reproduções de reportagens de interesse nacional, fotos poesias, etc. É PERMITIDO COPIAR TEXTOS DESTE BLOG, DESDE QUE A AUTORIA SEJA MENCIONADA. Posso enviar alguns textos por e-mail, já que é um blog protegido. OBS. Só publico comentários que contenham nome completo, e-mail e telefone, pois repudio anonimato.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

FLIN 2017


O autor deste blog com Ivan, filho de Henfil.

O autor deste blog ao lado do cartunista Jaguar (85 anos)
FLIN – 2017 EM NATAL – UM STAND’UP TRÁGICO

Imagine uma dupla de repentistas se apresentando para um público composto por artistas, escritores, professores etc - pessoas altamente esclarecidas - cujos últimos versos finalizassem assim:
I
“Carlos Eduardo, o prefeito que fez tudo pela educação”
II
“Carlos Eduardo, o melhor gestor para a Saúde”
III
“Carlos Eduardo Alves, o melhor prefeito do Brasil”
IV
“Carlos Eduardo Alves, o povo o quer como futuro governador do Rio Grande do Norte”...

Infelizmente a bateria da minha máquina havia acabado quando essa proeza se desencadeou diante dos meus olhos em meio a uma plateia atônita, que não se esquivou de promover verdadeira galhofa diante desse espetáculo trágico. Seria um vídeo digno da conferência de todos.
Na realidade a coisa era exatamente assim: era dia da exibição de diversos repentistas de vários estados do Nordeste (Sebastião Dias e Zé Carlos do Pajéu | Oliveira de panelas e Zé Viola | Ivanildo Vila nova e Raimundo Caetano | Valdir Teles e Severino Feito | Ismael Pereira e Jonas Bezerra | Aboiador Amâncio Sobrinho). As apresentações foram excepcionais e levaram o público ao êxtase. Uma verdadeira riqueza.
Todas as duplas recebiam um envelope com os motes prontos para versejar. Porém, inexplicavelmente, a última dupla foi “agraciada” com o direito de escolher o mote (tema).
Nesse dado instante um dos integrantes da dupla disse que era prefeito de um município paraibano e seu companheiro era o seu chefe de gabinete (isso na vida real). Até aí tudo bem, afinal não tem nada de mais repentistas se tornarem políticos.
Mas infelizmente o tema escolhido - ou pedido nos bastidores - parece não ter agradado a maior parte da plateia, pois houve vaia geral. O que era para ser um gozo decorrente de graça poética, tornou-se um orgasmo de deboche e ironia devido aos feitos invisíveis proclamados pela dupla sobre a administração de Carlos Eduardo Alves (primo de Henrique Eduardo Alves, que se encontra preso, acusado de práticas que estão na mesma alçada de Eduardo Cunha e Temer. Os dois Alves são sobrinhos de Garibaldi Alves, este votou a favor da reforma da Previdência).
Conversando com um amigo escritor, ele disse mais ou menos assim: “Luís Carlos, você acha que os dois últimos repentistas puderam escolher um tema livre por quê?”
Foi um episódio esdrúxulo. Aparentemente o gestor de Natal ficou meio sem graça a cada fechamento de estrofe. Creio que era para seus amigos terem-no poupado desse fiasco.
Uma característica também curiosa desse evento foi a constante menção do nome do prefeito como realizador da FLIN, como se ele, e não o dinheiro dos nossos impostos - estivesse bancando-a. Nos países civilizados, quando nesses eventos, a organização apenas exibe, em locais estratégicos, a logomarca do órgão público realizador tipo: Prefeitura Municipal, Governo do Estado, Governo Federal. 
Todos sabem quem é o prefeito, o qual é um empregado público igual a nós. Promoção de imagem, seja do PDT, PCB, PT, PSOL, PMDB etc não vale. Não há necessidade nem importância quanto a proclamação ou endeusamento da pessoa ou do partido que passam pelo poder naquele momento. Não é aquele gestor, nem o seu partido que realizam o evento, mas a instituição pública. Uma atitude assim, tão matuta torna Natal uma eterna província.
Tirando essa página mórbida, a FLIN, como sempre, foi “felomenal”. Verdadeiro deleite.  Fui todos os dias, comprei vários livros excepcionais e tive a oportunidade de conversar com personalidades que admiro, inclusive fiz um vídeo com Jaguar, o qual esterei postando no Youtube nos próximos dias. No vídeo ele fala de política, de Sérgio Cabral, inclusive conhece-o desde que o atual presidiário tinha 8 anos.


O filósofo, escritor e poeta Antonio Cícero

O incrível Ivanildo Vilanova
Jessier Quirino fez um 'pocket' da hora.
A platéia foi ao delírio com a irreverência de Tom Zé. Às vezes ele esquecia o que falava e perguntava o que estava falando anteriormente...

Músico Antonio Nóbrega ao lado do antropólogo Luís Assumpção (UFRN)




André Dammer (cartunista da Folha de São Paulo),  Ivan (filho de Henfil), Woden Madruga e Cláudio Oliveira

André Dammer (cartunista da Folha de São Paulo),  Ivan (filho de Henfil), Woden Madruga e Cláudio Oliveira


Woden Madruga

Cartunista Jaguar






 




Nenhum comentário:

Postar um comentário