ANTES DE LER É BOM SABER...

Este blog - criado em 2008 - não é jornalístico, embora contenha alguns conteúdos que navegam levemente nessas águas. Os textos são de autoria de Luís Carlos Freire, o qual descende do mesmo tronco genealógico da escritora Nísia Floresta. Esse parentesco ocorre pela parte das raízes da mãe do autor deste blog, Maria José Gomes Peixoto Freire, neta de Maria Clara de Magalhães Fontoura, trineta de Maria Jucunda de Magalhães Fontoura, descendente do Capitão-Mor Bento Freire do Revoredo e Mônica da Rocha Bezerra, dos quais descende a mãe de Nísia Floresta, Antonia Clara Freire. Essas informações são encontradas no livro "Os Troncos de Goianinha", de autoria de Ormuz Barbalho Simonetti, um dos maiores genealogistas brasileiros. O referido livro pode ser pesquisado no Museu Nísia Floresta, no centro da cidade. Luís Carlos Freire é especialista na obra de Nísia Floresta, membro da Comissão Norte-Riograndense de Folclore, sócio da Sociedade Científica de Estudos da Arte e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Possui trabalhos científicos sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, publicados nos anais da SBPC, Semana de Humanidade, Congressos etc. É autor de 'História do Município de Nísia Floresta', 'Cultura Popular em Nísia Floresta', 'A linguagem Popular em Nísia Floresta', dentre inúmeros trabalhos na área de história, lendas, costumes, tradições etc. Uma pequena parte das referidas obras ainda não estão concluídas, mas o autor entendeu ser útil disponibilizá-la neste blog, enquanto as conclui. Algumas são inéditas. O acesso permite aos interessados terem ao menos uma boa noção daquilo que buscam, até porque existem situações em que certos assuntos não são encontrados nem na internet nem em outro lugar. Algumas pesquisas são fruto de longos estudos, alguns até extensos e aprofundados, pesquisados em arquivos de Natal, Recife, Salvador e na Biblioteca Nacional no RJ. O autor estuda a história e a cultura popular da Região Metropolitana do Natal. Esse detalhe permitirá ao leitor encontrar informações históricas sobre a intelectual Nísia Floresta Brasileira Augusta, sobre o município homônimo, situado na Região Metropolitana de Natal/RN, além de crônicas, artigos, fotos poemas, etc. O autor ministra palestras e pode ser convidado através do e-mail: luiscarlosfreire.freire@yahoo.com.br. Fone: 99827.8517 - É PERMITIDO COPIAR TEXTOS DESTE BLOG, DESDE QUE A AUTORIA SEJA MENCIONADA. OBS. Só publico comentários que contenham nome completo, e-mail e telefone, pois repudio anonimato.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

RENAN CALHEIROS: O RÉU À LUZ DE UMA LEGISLAÇÃO QUE INSPIRA DESCONFIANÇA


Muito louca a nossa legislação.Alguns magistrados alegam que Renan Calheiros, Presidente do Senado, deve continuar como Presidente do Senado, pois está amparado por lei, outros magistrados alegam que o cargo de Presidente da República é "nobre" para que um réu corra o risco de ocupá-lo (o réu, no caso, é Renan Calheiros, o qual, diante de um imprevisto ou necessidade, é o primeiro na linha sucessória para ocupar a Presidência da República). A Presidência do Senado é um cargo nobre tanto quanto ser Presidente da República, tanto quanto ser vereador, tanto quanto ser ministro, secretário de alguma pasta etc. Mas como ele não é réu o bastante para ocupar a Presidência do Senado? Quer dizer que Presidente do Senado pode ser réu sem problemas? Existe grau de maior/menor, mais/menos para se encaixar na condição de ser réu? Quer dizer que existe réu bom e réu ruim? Por que isso só vale para determinados cargos? Qualquer um pode ocupar a Presidência do Senado? Quando analiso esse caso, encontro nele tantos fatos e personagens que respiram ares tão próximos da gente... e não estão longe! Conheço vereadores assim, prefeitos assim, deputados assim. Enquanto educador, preocupo-me com os nossos filhos, os quais assistem a tais absurdos como se fosse algo normal. Precisamos chamar nossos filhos,nossos alunos, nossos vizinhos e dizer: "ei, isso não está certo, venha cá, vamos entender o que está acontecendo, deixa eu te explicar". E comece usando os exemplos que você conhece aí mesmo de sua cidade! Mostre ao seu filho os exemplos de bons vereadores, bons prefeitos, bons secretários das pastas que porventura ocupe. Depois, aponte os marginais que ocupam (ou ocuparam) funções de secretários, vereadores, prefeitos e mesmo cargos comissionados etc. Explique que sua cidade, seu estado, seu distrito, seu povoado está em decadência por causa desses marginais que fazem dos cargos públicos a sua quadrilha. Pergunte se ele votaria num estuprador, num desviador de verbas públicas, num mandante de crime, enfim num indivíduo que usa as misérias sociais para teatralizar ser do bem, mas que, a única coisa que faz é enganar o povo.  Peça ao seu filho/aluno que analise e diga qual a opinião dele. E restam mais perguntas: por que o povo vota em estuprador? Por que o povo vota em ladão de dinheiro público? Porque o povo vota em marginal disfarçado de gente boa? Será que o povo não sabe? Por falar nisso, na sua cidade tem tais bandidos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário